*África, o continente de quem se espera.

77* África, o continente de quem se espera.

A 30ª cimeira da união africana ficou marcada pelas ousadas decisões tomadas e que se pressupõe serem o inicio de uma nova etapa para o nosso continente. O desafio da UA assenta-se em cinco pontos, a saber; O combate a corrupção. Combate ao terrorismo. A paz, segurança e estabilidade do continente. A liberalização do comércio e o auto financiamento da instituição (UA). Internamente, a decisão da abertura das linhas aéreas, que permitirão as companhias africanas, doravante, poderem fazer ligações na circunscrição aérea dos cinquenta e cinco países africanos membros da UA, e o projecto ZLET, para a liberalização da livre troca comercial entre países Africanos. Deverão já ser implementadas, ainda no próximo Março (2018). As barreiras aduaneiras haverão de ser dirimidas nos próximos anos. O passaporte único pan-Africano, para os cidadãos de África, encontra-se em fase de estudos de viabilidade, e a seu tempo os cidadãos africanos passarão a usar um único passaporte. Outra medida corajosa mas vantajosa, será a implementação de uma taxa de 0,2% aos produtos legíveis, importados em África. Arrecadação que permitira a união africana passar a auto financiar-se, ao invés de continuar a mendigar em países terceiros. Outro sim, será o de capacitar os nossos recursos humanos, para tomarem as rédeas dos recursos africanos, passarem a ser transformados por quadros do nosso continente, evitando a venda a grosso dos nossos recursos, de quem acabamos por compra-los já transformados, por valores inflacionados aos países industrializados.

Crónica de: Jonas Nazareth