*A consciência do conceito de liberdade!

71* A consciência do conceito de liberdade!

Filosoficamente diz-se que: – A minha liberdade termina onde começa a do outro! Portanto as sociedades, por sua vez vão se moldando consoante as características melhor aceites pela maioria, um resultado que a chamamos – democracia. Pois bem, em democracia dá-se o privilégio as maiorias, mas este pressuposto ainda é muito mal digerida pelas pequenas elites que foram sendo à revelia, concebidas em África, pois muitas delas, senão todas, saídos das massas (povo), pretenderam também demonstrar ao mundo que a África pode e deve haver elite burguesa, pena não terem feito por ela, ou seja, todas elas foram concebidas com o erário público, e como agravante, furtam-se do compromisso com as leis da fiscalidade, esta que alimenta o PIB. E por mesquinhez, nem sequer investem no próprio solo pátrio, que no mínimo serviria para estimular o desenvolvimento socioeconómico da terra natal?! As mesmas (as tais elites) apegaram-se de tal maneira ao poder e com a específica intenção de lapidação dos recursos do Estado para desaproveita-los em luxúrias mal justificadas, o que em certa medida, condiciona a manutenção do poder ou o propiciar de eleições manipuladas, tornando assim a nação refém aos caprichos de uma minoria. São muitos os países africanos ainda com sérias dificuldades em exercerem um escrutínio público transparente. E como exemplo citamos a, R.D. Congo de Kabila, que deixa-nos entender, que ele não está saber lidar com uma vida de ex-presidente?! Situação esta que prejudica nitidamente toda nação. Daí a questão – será ele um verdadeiro nacionalista? O Zimbabwe não faz excepção, no passado, houve efectivamente da parte do PR Mugabe, políticas latifundiárias algo precipitadas e que culminaram com um embargo inoportuno da união europeia, a consequência tem-se reflectido no povo zimbabueano e vizinhos, a saber que, antes do colapso, o Zimbabwe chegou a ser considerado como o celeiro da África austral?! Na Líbia de Khaddafy, enquanto ele soube escamotear a liberdade com o prover de condições apetecíveis aos seus cidadãos, A Líbia era um país de sonho para muitos africanos, hoje e diga-se em abono da verdade, são escombros e ódio a demarcar-se. O Sudão Sul – um ocaso?! A Somália – Ibidem. É por estas e outros, atiro a minha pergunta ao vento – Que devemos fazer para amarmos a África e torna-la desenvolvida?!

Crónica de: Jonas Nazareth 

*Declaração de bens, o sinal de transparência na governação de Angola.

70* Declaração de bens, o sinal de transparência na governação de Angola.

Dizem os chineses; – “É com o primeiro passo que se vai ao longe!” Angola e a África em geral, ainda demonstram sinais de puro oportunismo e delapidação do erário público em benefício de uma minoria e que recusam serem apelidados de corruptos?! O novo PR de Angola e em claro sinal de mudança, vem dando sinais de pretender efectivamente, corrigir o que está mal e melhorar o que está bem! O sinal de partida foi dado ao elenco governativo, ora empossado, para num período trinta dias, todos eles declararem seus bens, sob pena de serem exonerados por deslealdade para com o povo, o mesmo povo, que uma vez mais e mesmo com o custo de vida do país a nos remeter num vergonhoso segundo lugar, (como o país mais caro do mundo?!). Portanto, e desde já, os nossos economistas, e sem quaisquer distinções de opções partidárias devem e estão convidados a participarem no processo da baixa do custo de vida, de maneira a valorizarmos o nosso kwanza, que dizem em surdina, passou a ser kwanza burro. Sua excelência senhor presidente parece estar determinado em fazer o uso das suas prerrogativas para aproximar-se mais da população e assim criar certa empatia com o povo ao procurar desmembrar-se dos excessos protocolares e de protecção que seu antecessor praticava. E como ainda é muito cedo para entrarmos em avaliações a respeito do nosso novo PR, até porque ele ainda está na fase burocrática de organização das estruturas que passarão a apoiá-lo nessa árdua missão, da nossa parte, merece o benefício da dúvida. No entanto, gostaríamos imenso, vê-lo debater com os líderes da oposição, esgrimir opiniões em debate democrático, para assim podermos almejar uma democracia mais participativa e menos desdenhosa. Termos um PR a falar mais nos órgãos de comunicação social, tomar da palavra para falar sobre o estado da nação, seus projectos e afins para o desenvolvimento sustentável de Angola, e que do nosso lado, enquanto fazedores de opinião, mereceria meticulosa análise das possibilidades exequíveis ou nem tanto?! E resumiríamos o gesto, como sendo sinal de governação mais inclusiva. Ganharíamos todos e honraríamos a nação como um exemplo a seguir pelos demais!

Crónica de: Jonas Nazareth

*Ti Celito e sua simplicidade de invejar!

69* Ti Celito e sua simplicidade de invejar!

Sua excelência Marcelo Rebelo de Sousa, actual Presidente de Portugal a todos vem nos surpreendendo com sua inusitada simplicidade, há ver pelos exemplos de vida em que, vezes sem conta, ele sai do palácio para ir engraxar os sapatos na rua aos olhos de todos e a seguir, uma conversinha daqui, uma selfie dali, um convite dacolá, como nunca vimos antes em Portugal?! Fazer praias, sempre que o tempo lhe concede tal disponibilidade, vemo-los em grandes fimbas (mergulhos) em total descontracção, como um cidadão consciente de seus deveres e obrigações que lhe permitem também desmembrar-se de certo aparato protocolar para exercer seu mandato a sua maneira (by my way). Qual partido afiliado? O homem não quer nada com as acostumadas quezílias partidárias, contrariando alguns presidentes que lhe antecederam no cargo e que no passado foram efetivamente dualistas nos seus critérios, para a satisfação do partido actual no poder (PS) metamorfoseado em gerigonça e com certa criatividade, para fazerem as vacas voarem?! Ti Celito, nunca corroborou com a síndrome da raposa, com hábitos de desdenhar suas incapacidades, mas a passo (Coelho) a passo (Coelho), ele demonstrou ao ex-primeiro ministro (PSD), que voltar novamente a ser primeiro-ministro, só mesmo quando as vacas voarem?! E o Ti Celito, quando pensávamos que sua simplicidade não vingaria em África, pasme-se! O homem voltou a surpreender-nos com a sua simplicidade de fazer inveja, voltou a flutuar em águas angolanas e sem se coibir de aceitar tirar umas selfies com os muitos interessados, também vimo-lo a jogar basquetebol de rua com estudantes!? Ti Celito te amamos, desejamos-te muitos:Hurra,hurra,hurra!
NB: Hurra* (salvas em russo)

Crónica de; Jonas Nazareth