*…E politizaram as queimadas em Portugal.

65* …E politizaram as queimadas em Portugal.

Era de se esperar que assim acontecesse, até porque o mais estranho seria ver os políticos, oportunistas como são, não colocarem o bedelho no assunto para aproveitamento politico. Eles são como as nesgas de fogo atiradas ao vento sobre corpos inflamáveis, são iguaizinhos aos negligentes fumadores quando atiram suas beatas irresponsavelmente em qualquer lugar, pouco lhes importa os contornos da nesga se hão-de beijar objectos de fácil combustão. Mas repare que, há mal que vem para o bem, ou seja, sendo o assunto das queimadas um macabro ritual e infalível em todas as épocas de verão, e porque a solução nos parece longe de ser dirimida por toda a sociedade envolvida nela, a pressão da oposição vem certamente obrigar o governo no poder, a fazer mais do que promessas sensacionalistas, sob pena de, como consequência, serem duramente penalizados nas próximas eleições. É sempre assim que funciona em democracia, e quer queiramos ou não, as insuficiências apontadas pela oposição, servirá para o governo, como tarefas de casa a serem executadas a excelência, porque os fiscais somos todos, sobretudo a população votante indecisa. Outro sim, convém lembrar que, a própria oposição hoje, caso vier a tornar-se governo amanhã, terá muito a justificar sobre as suas afirmações enquanto oposição. E dizer que em África, ainda há partidos que sempre ganham os respectivos pleitos e só com maiorias?! Irmãos, amadureçamos mais para fiscalizarmos melhor!

Crónica de; Jonas Nazareth