*Complexos de africanidade nos africanos do Magreb.

51* Complexos de africanidade nos africanos do Magreb.

A África é um continente do futuro, e com muito para mostrar ao mundo. Seu passado retardou sobremaneira o desenvolvimento, a razão, o oportunismo dos outros, ao expropriarem ilicitamente seus recursos naturais e transformarem muitos africanos em escravos noutros continentes. Cruzes! Foram quinhentos tortuosos anos de escravidão em benefício da supremacia dos colonizadores. E com isso, a miséria nos persegue, embora, de menos em menos (louvado seja Deus). Mas para os outros, os nossos azares, amiúde, vêm servindo para lábias jocosas, sobretudo quando muitos africanos, combalidos pela miséria extrema são empurrados para o êxodo, e por onde infelizmente, são literalmente humilhados e vítimas de tratos menos abonatórios. Provavelmente, o grande motivo da região norte do continente, concretamente a região do Magreb, culturalmente árabes, quase auto se excluir da identidade africana. Porque em fóruns continentais, esses mesmos países que compõem a região do Magreb participam dela, mas com muitas reservas, nota-se pela pouca ou insípida intervenção no seio da união africana. Mas os africanos, sejam eles do Magreb ou da região subsaariana não devem sentir vergonha do continente, nem do seu passado, tão pouco do presente, mesmo que ainda espelha grandes focos de miséria extrema e de famina em alguns casos. Porque o futuro do continente, depende irreversivelmente de nós africanos, sejam eles magrebinos ou não, e o sacrifício para erguê-la deve identicamente ser de todos seus integrantes, da mesma maneira como partilham os rios ao trespassar a vizinhança e a devida delicadeza para se evitar descontentamentos. O esforço para o melhoramento das condições sociais do africano devem também, serem debeladas por todos, O orgulho da africanidade germina na diversidade cultural dos povos que compõem o continente e daí o nacionalismo no sentido positivo de cada parcela do território africano, desprovidos de regionalismo, tribalismo ou xenofobia. A complexidade de assumirmos nossa identidade em nada nos ajudará a engrandecer esse rico continente, um gigante adormecido!

Crónica de; Jonas Nazareth