46* O fenômeno religioso e a laicidade.

*O fenômeno religioso e a laicidade.
 
A César o que é de César e a Deus o que é de Deus. A casa das leis trouxe a liça o delicado debate em torno do fenómeno religioso. Pois os senhores deputados angolanos esfarelaram argumentos sem as habituais divergências, um insólito com suspeições de incertezas na separação do trigo do joio. E ficamos por saber que joio se jogará para fora, e que trigo prosseguirá com a eloquência verborreica do pasto aos dízimos dos pobres fiéis de fácil manipulação. Mais do que religião seitas e dízimos, outros fenômenos bem mais malignos resistem as investidas da lei porque o desemprego suscita a marginalidade de um número assustador de jovens algo talhado para a vida fácil. E das poucas alternativas para gente honesta como o caso do negócio informal, tal o caso das zungueiras, debalde, investiu-se erroneamente em fiscais para correrem essas modestas comerciantes, quando o certo, seria congregar os famigerados fiscais no combate contra a delinquência. Porém, a laicidade não contempla mentiras em nome de Deus para enriquecer pastores, pois Jesus ou Mohamed nunca viveram na luxúria.
 
Crônica de: Jonas Nazareth.