21* Portugal a teste de fogo.

21* Portugal a teste de fogo.

Sem querer colocar a seara em terras alheias, por uma questão de analise política, uma vez que Portugal já colonizou Angola e outros países de África por via da força, a liça, nasce-me a petulância de conjeturar a respeito do atual cenário político de Portugal, sobretudo depois de absorvermos equivocados alguns amargos exemplos retirados das ultimas peripécias da Grécia governada pelo partido SYRIZA. Se nos desperta a curiosidade, sobre quem o presidente deverá empossar como primeiro-ministro para formar governo?  A coligação (Portugal para frente) que ganhou as eleições, mas que não teve maioria parlamentar, ou o PS segundo partido mais votado,  pelo facto da esquerda (PCU, e BE) demonstrarem intenções em apoiar o projecto do PS para formar governo!? Apesar das diferenças que separam os partidos da esquerda, ainda assim, estes mostraram-se determinados em repor a coligação de direita sentada no parlamento para fazer oposição. Assim sendo, e porque o presidente goza de prerrogativas e por ser da direita (PSD), diante deste cenário, o que fará? Nomear Passos Coelho para formar governo e ver impotente este ser copiosamente chumbado pela maioria parlamentar, ou convidar António Costa a formar governo, por este contar com o aval da esquerda em maioria no parlamento. Caso o segundo cenário venha a efetivar-se, esperamos para ver, quem sairá fragilizado desta hipotética coligação de esquerda, a julgar pelas divergências ideológicas da esquerda, é para se dizer que, muita água ainda há de correr por esta ponte. De uma coisa estamos certos, os eleitores portugueses hão-de duramente penalizar os erros que advirem desta coligação,  sobretudo porque (PCU, e BE) não morrem de amores pela união europeia.  Mas uma grande democracia como a de Portugal, saberá dar volta aos cenários incómodos para o bem do povo, e esperamos que assim seja!

Crónica de: Jonas Nazareth