O apagão no sinal da tpa-2 na diáspora

Com o sentido de pátria, muitos de nós vivemos na diáspora, mas com a nostalgia da nossa querida Angola e do recorrente desejo de lá ir sempre que uma oportunidade se espreita-nos, mas enquanto ficamos pelo mero desejo, os programas da nossa TPA-2 internacional vai nos ajudando a desfrutar de imagens da banda, e degustámo-nos a olho nu o “modus viventi” da nossa gente. Na grelha do nosso canal da TPA, passa o que passa, dentre desporto, cultura e politica, diante da tela ficamos só já a lhes ver! Os nossos palancas no futebol e o sempre quase (por apurar-se ou ganhar), até já ninguém os acredita, mas quanto aos nossos palancas do basquetebol, estes nunca nos deixam ficar mal, sempre a salvarem a nossa honra nos desportos de Angola com êne títulos continental. Na mesma peugada, as senhoras do nosso andebol, também já conseguiram se afirmar no continente, e agora é só alegrias! A cultura, aos poucos os jovens, têm feito de tudo para atingirem outros patamares e com eles, nossos estilos musicais e dançantes. Para trás ficou a dificuldade que os nossos kotas enfrentaram para exportarem a nossa música, ou seja o nosso semba, devido a ideologias politicas, sobretudo o sistema mono-partidarismo que se vivia na época e que os inviabilizou para voos mais altos. E hoje conformados com as tropelias do passado, vão agora se adaptando a dinâmica do mercado actual com alguns shows no interior de Angola. E quando menos esperávamos, fomos bruscamente interrompidos de acompanharmos o nosso canal angolano na diáspora, devido ao apagão que o canal sofreu na grelha dos canais no estrangeiro, ou seja, ficamos sem o sinal. Situação que veio dar azo a conjecturas de toda sorte. O certo é que, quem manda na coisa (não se deu a veleidade de nos clarificar, o que de facto se estava a passar?), remeteu-se (pensamos nós) a um silencio sepulcral, próprio de quem não quer falar a verdade e para não mentir se reserva no seu silêncio?! E assim, vamos perdendo dentre alguns programas educativos, de lazer e informativo, porque ninguém sabe ao certo, o que se terá passado?! Fontes não credíveis vieram a terreiro avançar que, deveu-se a dívidas contraídas com o proprietário do satélite que permite o sinal para fora, e terá acumulado dívidas em demasia, que obrigou a radical (senão lógica) decisão dos proprietários. Ficamos assim privados de seguir com a expectativa que o enredo da novela angolana “jukulomesso” nos proporcionava, saltando-nos a vista uma passagem do beijo gay (embora simulada), mas que veio a abalar profundamente as boas maneiras de que sempre apregoamos da nossa sociedade considerada conservadora (?) Para muitos telespectadores e assíduos da mesma novela angolana, antes a interpretação do ladrão e seus roubos qualificados, que um beijo gay. O que deixa a entender que, os angolanos são mais perdulários ao roubo, que ao sodomismo?! Mas ambos os casos, e segundo as escrituras sagradas, são considerados pecado, sem menos nem mais gravidade para cada um. E realisticamente, o roubo, ou assaltos em Angola, vem aumentando estrondosamente, levando os cidadãos a uma insegurança sem precedentes! Até porque muitos dos casos, terminam em infaústos, dado a brutalidade dos ladrões diante das suas vítimas, e o relega os pacatos cidadãos a uma vulnerabilidade extrema. Apelamos a nossa polícia e os órgãos de segurança nacional a uma resposta proporcional a este flagelo, para punir severamente os fora da lei.

tpa-2